fundo parallax
19 de fevereiro de 2016
O ANO COMEÇOU!
18 de fevereiro de 2016
TEATRO COM DESCONTO, SIM!
25 de fevereiro de 2016

Eu comecei a trabalhar nessa área aos 6 anos de idade, meu primeiro empenho, por assim dizer, por incentivo de minha mãe, pelo menos na época. Depois, acabei seguindo e quebrando cabeça por si só, aprendendo, buscando conhecimentos que pudessem me fazer continuar caminhando nessa estrada rochosa que é o mundo artístico. Ainda não consegui realizar os meus objetivos mas posso dizer, sem sombra de dúvida, que cada quilômetro caminhado foi um aprendizado e continua sendo inesquecível.

Em todo esse tempo, além de cursos aleatórios aqui no Brasil, uma faculdade de cinema, cursos na França e nos Estados Unidos, o que mais me marcou foi a convivência com determinadas pessoas que, mesmo por pouco tempo, me ensinaram a crescer nessa área e observar detalhes importantes que nenhum livro e/ou universidade foram capazes de transmitir. Um falecido professor e amigo me mostrou que é possível buscar por certas informações que estão muito bem escondidas, e os menores detalhes podem servir em grandes situações. Um outro mestre, fundador de um dos melhores grupos teatrais do Brasil, me ensinou que às vezes precisamos “matar” o policial que temos em nosso interior, responsável por cobranças sem fim, pois é normal errar… É dessa forma que aprendemos com a vida e crescemos! Já outro conselheiro, lá do outro lado do oceano, firme em suas ideologias, desabafou que atuar nada mais é que analisar a vida, seja essa a sua, de sua personagem ou apenas a do colega em cena. Também aprendi com uma amiga, qual me deu força em um momento que precisei, que era necessário olhar para frente e seguir acreditando sempre.

Todos esses conselhos, e alguns outros, claro, serviram para que eu continuasse no rumo certo, passo a passo, pacientemente, adquirindo o conhecimento para o próximo desafio. Mas, independente desses, percebi também que o meu maior guia nunca deixou de ser eu mesmo. No final das contas, o simples fato de persistir e continuar batalhando, tornou-se o melhor combustível para minha confiança e capacidade de realização. O melhor passo sempre será o primeiro, sem dúvida, mesmo que tenha sido doloroso, pois eu sei que ele foi mérito de minha luta e domínio contra meus próprios medos. Entretanto, é importante lembrar todos os dias que os demais são tão necessários quanto esse, que desistir é um capitulo torturante e, muitas vezes, sem volta. Desistir é a falsa crença de estar seguindo a vida normalmente, mas essa é cobrada pelo espirito quando esse olha para trás e percebe ser tarde demais. Por isso sempre aguentei a luta, durante todo esse tempo, todas as dificuldades. Sei que mesmo com todos os aprendizados que tive, conquistas que alcancei, ainda tenho muito o que enfrentar. Porém, venho me preparando para aguentar todos os rounds.

A vida tem um propósito e continuará tendo, só depende do pequeno sopro atitude que surge dentro de cada um. Ela não existe para ser usada e abusada, ao contrario, deve ser aproveitada, usufruída sensatamente até o ultimo instante, seja pessoal e/ou profissional. Criar possibilidades, sem a preocupação de retorno ou o medo da decepção, é uma necessidade que abraço todos os dias. Afinal, o mundo gira desde sempre e pontapés tendem a mudar de direção.

Sei que a esperança não se trata de um conto de fadas, mas não sou ingênuo de acreditar que ela ela já está escrita no final de qualquer livro, aliás, recuso-me a aceitar que o livro da vida já está escrito. Ele pode até possuir um primeiro direcionamento, mas somos nós os responsáveis por traçar as demais linhas, arregaçar as mangas e construir o próprio caminho e sonhos, mantendo o equilíbrio diante as decisões e/ou tempestades. Como diria as sabias palavras de Machado de Assis “Suporta-se com paciência a cólica dos outros”. Assim, poderemos olhar para frente, diferenciando nossa visão de olhares incrédulos. Isso é ser artista! Diferente de Tomé, é preciso crer para ver e, com serenidade, alcançar.

Contudo, o caminho é árduo e penoso, muitos até podem dizer que para trabalhar com arte você precisa de cérebro e coração, todavia eu acrescento um órgão e confirmo que precisamos também de estômago! Esse último para digerir certas fases e comentários absorvidos nessas, abusos, falsidades e má escolhas de pessoas fracas que perdem o tempo tentando freiar o sucesso alheio. Mas, uma boa digestão nos ajuda a acalmar antes das decisões importantes. E quando as tomamos, com sensatez, separamos o joio do trigo antes de viver intensamente outra vez.

“Deixa eu te contar uma coisa eu você já sabe. O mundo não é feito apenas de sóis e arco-íris. É um lugar malicioso e injusto, que não se importa o quão durão você é, ele vai te bater até que você caia de joelhos e vai te deixar lá pra sempre se você deixar.

Nem você, nem eu, nem ninguém vai bater tão forte como a vida. Não é sobre o quão forte você bate. É sobre o quanto você apanha e continuar seguindo em frente. Quanto você aguenta e continua seguindo em frente. É assim que a vitória é feita!

Se você sabe o quanto você vale, vá lá e conquiste o que você vale. Mas você tem que estar disposto a levar as pancadas. E não ficar apontando dedos e dizendo que você não é o que queria ser por causa dele, dela ou qualquer um! Covardes fazem isso e ESSE NÃO É VOCÊ! Você é melhor do que isso.”

(Rocky Balboa – Sylvester Stallone)

D.G

Site: danielgravelli.com

Instagram: @danielgravelli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *