fundo parallax
Uma nova jogada a cada dia
25 de maio de 2018
Os redemoinhos de uma produção

Em 2010, durante uma madrugada, escrevi uma peça totalmente diferente do que estamos acostumados a assistir nos palcos. Com uma pegada cinematográfica, misturando violência e com um certo teor sexual, mostrando um aprofundado retrato de uma sociedade esquecida, a peça foi trabalhada durante um certo tempo e colocada em cartaz para sentir um retorno do público na época. Para minha surpresa, uma vez que o espetáculo recebeu uma censura de 16 anos, o público adorou o projeto e queria que o mesmo ficasse mais tempo em cartaz. Contudo, não tínhamos verba suficiente para o mesmo e engavetamos o projeto.

Cinco anos depois, em 2015, esse mesmo texto voltaria a ficar em cartaz, só que dessa vez com uma montagem trazendo diversas mudanças e com um elenco novo, também empenhado – e com a possibilidade de meses de ensaio. Porém, a proposta ainda era independente e sem muito caixa. Colocamos o projeto em uma plataforma de incentivo e investimos do próprio bolso o que faltava. Resultado: A peça entrou em cartaz no teatro do Fashion Mall para algumas apresentações e novamente teve uma resposta super positiva do público. Além de mexer no texto do espetáculo, eu também o dirigi ao lado do amigo Paulo Olivera, enquanto o saudoso Luiz Carlos Maciel ficou por conta da Supervisão geral do mesmo – o que ajudou bastante, uma vez que nós dois (Paulo e eu) também integrávamos o elenco e produção. Falando nessa última, contamos também com os produtores Aimée Borges e Rodrigo Zingano, que foram fundamentais para tudo funcionar. Aimée, inclusive, assumiu sozinha e com sucesso essa carga durante as apresentações, uma vez que Zingano também integrava o elenco principal. Entretanto, mesmo com tudo funcionando perfeitamente e recebendo aplausos calorosos, a peça não conseguiu ficar em cartaz por muito tempo por falta de patrocínio.

Agora, três anos depois da última jornada, estamos novamente levantando o cenário para uma nova montagem e esperamos que seja definitiva. Infelizmente não teremos a benção do nosso querido Maciel, que nos ajudou a direcionar a peça em pequenos e importantes detalhes que deram um ar mais poderoso a produção, mas vamos abraçar o projeto com toda vontade e – ainda independente – vamos fazer o impossível para proporcionar a tão merecida temporada que esse texto vem pedindo há oito anos. Com algumas pequenas mudanças no texto, elenco e produção, vamos voltar a ficar em cartaz em breve e tentar percorrer alguns festivais por aí. Dito isso, só peço uma coisa: marque o nome da peça e vá assistir quando essa entrar em cartaz! A cultura sempre precisou do apoio de todos, porém esse é um momento que a mesma chora um abraço ainda mais caloroso de seu povo.

D.G

E se você é ator ou atriz e deseja fazer teste para entrar nesse elenco, envie um email para woopro@outlook.com 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *